Análise comparativa entre vazão medida e vazão regionalizada em três pares de bacias hidrográficas morfometricamente semelhantes do estado de Minas Gerais

Palavras-chave: Recursos Hídricos, Outorga, Vazão regionalizada

Resumo

A carência de monitoramento fluviométrico nas bacias hidrográficas brasileiras, principalmente nas de pequeno porte, configura-se como um desafio no âmbito da gestão dos recursos hídricos, e tal cenário acarreta no uso de dados regionalizados de vazões, que nem sempre condizem com a realidade local. O propósito deste trabalho foi avaliar o uso de vazões regionalizadas, bem como os limites definidos pelas agências reguladoras de recursos hídricos na análise de processos de outorgas para captação de água superficial. A sistemática metodológica envolveu a determinação das vazões regionalizadas para cada bacia selecionada, de acordo com as metodologias propostas pelos órgãos reguladores, e ainda, a comparação com os valores de vazões medidos nas estações situadas no exutório destas bacias. Os resultados obtidos permitem inferir que os métodos atualmente utilizados para a determinação das vazões regionalizadas e os limites definidos pelas agências reguladoras não foram representativos para as bacias alvo do estudo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eduardo Goulart Collares, Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG)

Doutor pela Universidade de São Paulo (USP). Professor e pesquisador da Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG). Consultor ambiental em Geologia e Geotecnia. Diretor da empresa GM&G Ambiental.

Elisangela de Araujo, Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG)

Graduanda em Engenharia Ambiental pela Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG). Técnico em Meio Ambiente.

Brenda Cristine Barbosa Silva, Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG)

Graduada em Engenharia Ambiental pela Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG).

Gideão Gabriel Gonçalves, Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG)

Graduando em Engenharia Ambiental pela Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG).

Ana Cláudia Nascimento e Silva, Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG)

Mestranda em Desenvolvimento Regional e Meio Ambiente pela Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG). Graduada em Engenharia Geológica e Especialista em Engenharia Geotécnica pela UEMG.

Referências

AGÊNCIA NACIONAL DE ÁGUAS (Brasil). Outorga de direito de uso de recursos hídricos. Brasília/DF: ANA, 2011. (Caderno de Capacitação em Recursos Hídricos, 6).

AGÊNCIA NACIONAL DE ÁGUAS (Brasil). Hidroweb. Base de Dados. Disponível em: https://www.snirh.gov.br/hidroweb/. Acesso em: 20 out. 2020.

AMADOR, M. C.; DA SILVA, C. A. O preenchimento de falhas de séries históricas de precipitação. Revista Eletrônica da Associação dos Geógrafos Brasileiros Seção Três Lagoas, Três Lagoas/MS, v.1, n.31, p. 178-202, 2020. Disponível em: https://desafioonline.ufms.br/index.php/RevAGB/article/view/9699. Acesso em: 01 dez. 2020.

ARSKY, I. C.; SANTANA, V. L. Convivência com o semiárido brasileiro: autonomia e protagonismo social: parâmetros de demanda hídrica no semiárido. Brasília, DF: Editora IABS, 2013. 149 p.

BRASIL. Lei nº 9.433, de 8 de Janeiro de 1997. Institui a Política Nacional de Recursos Hídricos, cria o Sistema Nacional de Gerenciamento de Recursos Hídricos, regulamenta o inciso XIX do art. 21 da Constituição Federal, e altera o art. 1º da Lei nº 8.001, de 13 de março de 1990, que modificou a Lei nº 7.990, de 28 de dezembro de 1989. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 8 jan. 1997. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9433.htm. Acesso em: 20 abr. 2020.

CAMPOS, B. P. Outorga de água. 2017. Trabalho de Conclusão de Curso (Tecnólogo em Produção de Grãos) – Universidade Estadual de Goiás, Posse/GO, 2017. Disponível em: http://aprender.posse.ueg.br:8081/jspui/handle/123456789/189. Acesso em: 20 abr. 2021.

CARVALHO, H. P.; RUIZ, M. V. S. Avaliação da consistência se séries históricas de chuva da bacia hidrográfica do Rio Araguari, em Minas Gerais. Periódico Eletrônico Fórum Ambiental da Alta Paulista, Tupã/SP, v. 12, n. 06, p. 76-84, 2016.

COLLARES, E. G. Avaliação de alterações em redes de drenagem de microbacias como subsídio ao zoneamento geoambiental de bacias hidrográficas: aplicação na bacia hidrográfica do Rio Capivari – SP. 2000. 211f. Tese (Doutorado em Geotecnia) – Universidade de São Paulo, Escola de Engenharia de São Carlos, São Carlos/SP, 2000. Disponível em: https://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/18/18132/tde-25012001-115727/pt-br.php. Acesso em: 5 abr. 2020.

CRUZ, J. C.; TUCCI, C. E. M. Estimativa da disponibilidade hídrica através da curva de permanência. Revista Brasileira de Recursos Hídricos - RBRH, Porto Alegre, v. 13, n. 1, p. 111-124, jan./mar. 2008. Disponível em: https://www.lume.ufrgs.br/handle/10183/232847. Acesso em: 18 jan. 2021.

DURAN-ENCALADA, J. A. et al. The impact of global climate change on water quantity and quality: a system dynamics approach to the US-Mexican transborder region. European Journal of Operational Research, Amsterdam, v. 256, p. 567-581, 2017. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0377221716304362. Acesso em: 22 out. 2020.

GARBOSSA, L. H. P.; PINHEIRO, A. vazões de referência para gestão de bacias hidrográficas rurais e urbanas sem monitoramento. REGA, Porto Alegre, v. 12, n. 1, p. 43-52, jan./jun., 2015.

GRANNEMANN, N. G.; REEVES, H. W. Great lakes basin water availability and use: a study of the national assessment of water availability and use program. Washington: USGS, 2005. 4 p. Report. Disponível em: https://pubs.er.usgs.gov/publication/fs20053113. Acesso em: 18 maio 2021.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Cidades e estados. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/cidades-e-estados/mg.html. Acesso em: 16 ago. 2021.

INSTITUTO ESTADUAL DE FLORESTAS (Minas Gerais). Cobertura vegetal de Minas Gerais. Disponível em: http://www.ief.mg.gov.br/florestas. Acesso em: 17 ago. 2021.

LANDIM, P. M. B. Análise estatística de dados geológicos multivariados. São Paulo: Oficina de Textos, 2011. 208 p.

LEMOS, R. S.; MAGALHÃES JUNIOR, A. P. Reflexões sobre os critérios de cálculo de vazões outorgáveis em áreas de conflito do estado de minas gerais: o caso da bacia do ribeirão Ribeiro Bonito. Revista Espinhaço, Diamantina, v. 2, n. 4, p. 4 -12, 2015. Disponível em: http://www.revistaespinhaco.com/index.php/revista/article/view/61. Acesso em: 18 maio 2021.

LOPES, E. R. N.; SOUZA, J. C.; ALBUQUERQUE FILHO, J. L.; LOURENÇO, R. W. Gestão de bacias hidrográficas na perspectiva espacial e socioambiental. Economía, Sociedad y Territorio, Zinacantepec, Mexico, v. 10, n. 62, p. 1-23, 2020. Disponível em: http://www.scielo.org.mx/scielo.php?pid=S1405-84212020000100631&script=sci_arttext&tlng=pt. Acesso em: 20 out. 2020.

MACHADO, M. F.; SILVA, S. F. Geodiversidade do estado de Minas Gerais. Belo Horizonte: CPRM – Serviço Geológico do Brasil, 2010. Disponível em: https://rigeo.cprm.gov.br/xmlui/handle/doc/16735?show=full. Acesso em: 03 maio 2021.

MINAS GERAIS. Decreto nº 47.787, de 13 de dezembro de 2019. Dispõe sobre a organização da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável. Minas Gerais, Belo Horizonte, MG, 14 dez. 2019. Disponível em: http://www.siam.mg.gov.br/sla/download.pdf?idNorma=50263. Acesso em: 27 abr. 2021.

MINAS GERAIS. Decreto nº 47.866, de 19 de fevereiro de 2020. Estabelece o Regulamento do Instituto Mineiro de Gestão das Águas e dá outras providências. Minas Gerais, Belo Horizonte, MG, 20 fev. 2020. Disponível em: http://www.siam.mg.gov.br/sla/download.pdf?idNorma=50864. Acesso em: 27 abr. 2021.

MINAS GERAIS. Lei nº 21.972, de 21 de janeiro de 2016. Dispõe sobre o Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos – Sisema – e dá outras providências. Minas Gerais, Belo Horizonte, MG, 22 jan. 2016.

MINAS GERAIS. Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável; INSTITUTO MINEIRO DE GESTÃO DAS ÁGUAS. Resolução Conjunta nº 1548, de 29 de março de 2012. Dispõe sobre a vazão de referência para o cálculo da disponibilidade hídrica superficial nas bacias hidrográficas do Estado. Minas Gerais, Belo Horizonte, MG, 31 de mar. 2012. Disponível em: http://www.igam.mg.gov.br/images/stories/CTIG/4-r-c-semad-igam-no-1548-versao-publicada.pdf. Acesso em: 27 abr. 2021.

NAPOLEÃO, R. P.; MATTOS, J. T. O uso de geotecnologias como subsídio à gestão dos recursos hídricos: o zoneamento ambiental da bacia hidrográfica do Rio Capivari (SP). In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE SENSORIAMENTO REMOTO, 15., 2011, Curitiba. Anais [...]. Curitiba: Inpe, 2011. p. 4744 - 4751. Disponível em: http://marte.sid.inpe.br/col/dpi.inpe.br/marte/2011/07.25.13.29/doc/p0426.pdf. Acesso em: 18 jan. 2021.

NILSALAB, P.; GHEEWALA, S. H.; SILALERTRUKSA, T. methodology development for including environmental water requirement in the water stress index considering the case of Thailand. Journal of Cleaner Production, Amsterdam, p. 1-7, 2016. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/S0959652616319928. Acesso em: 19 maio 2021.

PASQUELETTO, T. L. L.; PASQUELETTO, A.; PASQUELETTO, A. G. N. Análise da disponibilidade e demanda de recursos hídricos no Brasil. In: FÓRUM AMBIENTAL, 16., 2020, Alta Paulista. Anais [...]. Alta Paulista, 2020. p. 2088-2103. Disponível em: https://www.eventoanap.org.br/data/inscricoes/5695/form3171191525.pdf. Acesso em: 18 maio 2021.

ROSA, A. F. Os impactos da urbanização sobre o ciclo hidrológico no município de Patrocínio – MG. 2017. 35 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Engenharia Ambiental) – Universidade Federal de Uberlândia, Instituto de Ciências Agrárias, Uberlândia/MG, 2017. Disponível em: http://repositorio.ufu.br/handle/123456789/19693. Acesso em: 06 jul. 2020.

REBOITA, M. S. et al. Aspectos climáticos do estado de Minas Gerais. Revista Brasileira de Climatologia, Curitiba, ano 11, v. 17, p. 206-226, jul./dez, 2015. Disponível em: https://revistas.ufpr.br/revistaabclima/article/view/41493. Acesso em: 01 ago. 2021.

SILVA, A. M. et al. Vazões mínimas e de referência para outorga na região do Alto Rio Grande, Minas Gerais. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, Campina Grande, PB, v. 10, n. 2, p. 374-380, 2006. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbeaa/a/3Y5NFNsM6gdXxHMcKSwR9wf/?format=pdf〈=pt. Acesso em: 18 jan. 2021.

SISTEMA ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE E RECURSOS HÍDRICOS (Minas Gerais). Infraestrutura de Dados Espaciais Ide-Sisema. Disponível em: https://idesisema.meioambiente.mg.gov.br/webgis. Acesso em: 06 jul. 2020.

SOARES, N. K. C. S.; SILVA, C. A. Comparação de metodologias para preenchimento de falhas em banco de dados pluviométricos: média aritmética X ponderação regional com base em regressão linear. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA FÍSICA APLICADA, 17., CONGRESSO NACIONAL DE GEOGRAFIA FÍSICA, 1., Campinas/SP. Anais [...]. Campinas, 2017, v.1, p. 1931-1941. Disponível em: https://ocs.ige.unicamp.br/ojs/sbgfa/article/view/2403. Acesso em: 01 dez. 2020.

SOUSA, H. T. et al. SisCAH 1.0: Sistema Computacional para Análises Hidrológicas. Brasília: Agência Nacional de Águas; Viçosa: UFV; Arka, 2009.

WEINTRAUB, L. H. Z.; TAO, H.; REDDER, T. M. Water prism: a tool to assess water availability risk and investigate water management strategies. Journal of the American Water Resources Association, London, v. 53, n.3, 2017. Disponível em: https://onlinelibrary.wiley.com/doi/abs/10.1111/1752-1688.12519. Acesso em: 19 maio 2021.

Publicado
2022-04-29
Como Citar
COLLARES, E.; ARAUJO, E. DE; SILVA, B.; GONÇALVES, G.; SILVA, A. Análise comparativa entre vazão medida e vazão regionalizada em três pares de bacias hidrográficas morfometricamente semelhantes do estado de Minas Gerais. Revista Mineira de Recursos Hídricos, v. 3, 29 abr. 2022.