Diagnóstico socioambiental da microbacia Anhumas no município de Pouso Alegre - MG

Palavras-chave: Uso e ocupação do solo, Recursos hídricos, Saneamento básico

Resumo

A intensa atividade antrópica, como uso incorreto do solo, agricultura, pecuária, falta de saneamento básico e desmatamento, provoca incontáveis problemas em bacias hidrográficas, comprometendo o equilíbrio dos ecossistemas, a qualidade da água, e, consequentemente, a saúde e o bem-estar da população. Para assegurar a conservação nessas áreas, é preciso adquirir conhecimentos sobre aspectos socioambientais, desde escalas menores, como microbacias. Diante disso, objetivou-se realizar um diagnóstico socioambiental da microbacia Anhumas, inserida na sub-bacia do Rio Mandu, em Pouso Alegre - MG. O instrumento de coleta de dados foi um questionário aplicado aos moradores maiores de 18 anos. O questionário foi respondido por 80 moradores, sendo um representante de cada propriedade rural visitada. Verificou-se que a maioria das propriedades possui cisternas instaladas, que é um modelo de captação de água sustentável. A baixa utilização de mina d’água e a ocorrência de nascentes somente em 22,5% das propriedades revela a importância de ações de educação ambiental na região sobre a preservação de nascentes, visto que nem todas as propriedades possuem Área de Proteção Permanente conservadas. Em áreas rurais brasileiras, é comum a adoção de sistemas de coleta ou tratamento do esgoto mais simples, como fossa séptica e até mesmo sistemas inadequados, como fossas rudimentares. Verifica-se precariedade nos tratamentos de efluentes gerados na microbacia Anhumas, com maior utilização fossa rudimentar, o que provoca danos ao meio ambiente e à saúde pública. Os resultados obtidos neste trabalho podem subsidiar projetos e políticas públicas sobre recursos hídricos, restauração florestal, saneamento básico e agricultura sustentáveis na região.

 

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ANDRADE, A. M. C.; ANDRADE, C. C. A. Poço artesiano: avaliação da qualidade da água que abastece a zona rural no município de Calçado-PE. In: SILVA, H. C. (org.). Demandas essenciais para o avanço da engenharia sanitária e ambiental 4. Ponta Grossa: Atena Editora, 2020. p. 25-37.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. ABNT NBR 7229: projeto, construção e operação de sistemas de tanques sépticos. Rio de Janeiro: ABNT, 1993.

BOLETIM DE PESQUISA E DESENVOLVIMENTO. Sete Lagoas: Embrapa Milho e Sorgo, 2019. Disponível em: https://www.embrapa.br/busca-de-publicacoes/-/publicacao/1112264/alocacao-de-barraginhas-com-uso-de-modelagem-hidrologica-e-geoprocessamento. Acesso em: 25 out. 2021.

BRASIL. Lei nº 9.433, de 8 de janeiro de 1997. Institui a Política Nacional de Recursos Hídricos, cria o Sistema Nacional de Gerenciamento de Recursos Hídricos, regulamenta o inciso XIX do art. 21 da Constituição Federal, e altera o art. 1º da Lei nº 8.001, de 13 de março de 1990, que modificou a Lei nº 7.990, de 28 de dezembro de 1989. Diário Oficial da União, Brasília, 09 jan. 1997. p.470. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9433.htm. Acesso em: 25 out. 2021.

BRASIL. Lei n. 12.651, de 25 de maio de 2012. Dispõe sobre a proteção da vegetação nativa; altera as Leis nºs 6.938, de 31 de agosto de 1981, 9.393, de 19 de dezembro de 1996, e 11.428, de 22 de dezembro de 2006; revoga as Leis nºs 4.771, de 15 de setembro de 1965, e 7.754, de 14 de abril de 1989, e a Medida Provisória nº 2.166-67, de 24 de agosto de 2001; e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, 28 maio 2012a. p.1. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2012/lei/l12651.htm. Acesso em: 25 out. 2021.

BRASIL. Decreto nº 7.830 de 17 de outubro de 2012. Dispõe sobre o Sistema de Cadastro Ambiental Rural, o Cadastro Ambiental Rural, estabelece normas de caráter geral aos Programas de Regularização Ambiental, de que trata a Lei nº 12.651, de 25 de maio de 2012, e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, 18 dez. 2012b. p.5, col. 1. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2012/decreto/d7830.htm. Acesso em: 25 out. 2021.

BRITO, S. L; PEREIRA, O. A. V. Relação entre parâmetros socioeconômicos, ambientais e de qualidade de água na bacia hidrográfica do Rio Paraíba do Sul – Minas Gerais, Brasil. Revista Mineira de Recursos Hídricos, Belo Horizonte, v. 2, p. 1-21, 2021. Disponível em: http://rmrh.igam.mg.gov.br/ojs3/index.php/NM/article/view/45. Acesso em: 25 out. 2021.

CAMPOS, K. B. G.; RAMIRES, I.; PAULA, S. M. Influência do uso e ocupação do solo nos recursos hídricos de Quatro Córregos na região de Caarapó- MS. Revista de Ciências Ambientais, Canoas, v.5, n.2, p. 77-92, 2011. DOI: http://dx.doi.org/10.18316/263. Disponível em: https://revistas.unilasalle.edu.br/index.php/Rbca. Acesso em: 25 out. 2021.

COMPANHIA DE SANEAMENTO DE MINAS GERAIS (COPASA). Programa Pró Mananciais. Disponível em: https://www.copasa.com.br/wps/portal/internet/meio-ambiente/pro-mananciais. Acesso em: 25 out. 2021.

EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA (EMBRAPA). Barraginhas: água de chuva para todos. Brasília, DF: Embrapa Informação Tecnológica, 2009. Disponível em: https://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/item/128246/1/ABC-Barraginhas-agua-de-chuva-para-todos-ed01-2009.pdf. Acesso em: 25 out. 2021.

EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA (EMBRAPA). Variação geográfica do saneamento básico no Brasil em 2010: domicílios urbanos e rurais. Brasília, DF: Embrapa, 2016. Disponível em: https://www.embrapa.br/busca-de-publicacoes/-/publicacao/1063680/variacao-geografica-do-saneamento-basico-no-brasil-em-2010-domicilios-urbanos-e-rurais. Acesso em: 25 out. 2021.

FUNDAÇÃO ESTADUAL DO MEIO AMBIENTE (Minas Gerais). Mapa de solos do estado de Minas Gerais. 1 mapa, color. Escala: 1: 650.000. Disponível em: http://www.feam.br/images/stories/2015/SOLOS/hd-mapa_solos_folha3.jpg. Acesso em: 25 out. 2021.

FRANCESCHINI, G. Tecnologias de baixo custo para tratamento de esgoto rural: reator UASB e fossa séptica econômica. 2019. 126 f. Tese (Doutorado em Agronomia) – Faculdade de Ciências Agronômicas, Universidade Estadual Paulista “Júlio Mesquita Filho”, Botucatu, 2018.

GOUVÊA, O. M. A história de Pouso Alegre. Pouso Alegre: Gráfica Amaral, 2004.

GUERRA, A. J. T.; SILVA, A. S.; BOTELHO, R. G. M. Erosão e conservação dos solos: conceitos, temas e aplicações. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2012.

INSTITUTO MINEIRO DE GESTÃO DAS ÁGUAS (IGAM). Plano de Recursos Hídricos. Disponível em:

http://www.igam.mg.gov.br/gestao-das-aguas/plano-de-recursos-hidricos. Acesso em: 31 out. 2021.

LANGE, W. J.; WISE, R. M.; FORSYTH, G. G.; NAHMAN, A. Integrating socio-economic and biophysical data to support water allocations within river basins: an example from the Inkomati Water Management Area in South Africa. Environmental Modelling & Software, Amsterdam, v. 25, n. 1, p. 43-50, jan. 2010. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/S1364815209001443. Acesso em: 25 out. 2021.

LIMA, L. S. de. Implementação de um modelo hidrológico distribuído na plataforma de modelagem Dinamica EGO. 2011. 95 f. Dissertação (Mestrado em Análise e Modelagem de Sistemas Ambientais) – Instituto de Geociências, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2011. Disponível em: https://repositorio.ufmg.br/handle/1843/MPBB-8JPPT4. Acesso em: 25 out. 2021.

MARTINS, F. B. et al. Classificação climática de Köppen e de Thornthwaite para Minas Gerais: cenário atual e projeções futuras. Revista Brasileira de Climatologia, Curitiba, ed. esp. Dossiê Climatologia de Minas Gerais, p. 129-156, nov. 2018. DOI: http://dx.doi.org/10.5380/abclima.v1i0.60896. Disponível em: https://revistas.ufpr.br/revistaabclima/article/view/60896. Acesso em: 25 out. 2021.

MINAS GERAIS. Lei n° 13.199 de 29 de janeiro de 1999. Dispõe sobre a Política Estadual de Recursos Hídricos e dá outras providências. Diário Executivo de Minas Gerais, Belo Horizonte, 30 jan. 1999. Disponível em: https://progestao.ana.gov.br/portal/progestao/panorama-dos-estados/mg/lei-no13-199-99_mg.pdf. Acesso em: 25 out. 2021.

MOURA NETTO, C.; GUISSO, S. M.; SCHAFFER, L. J. Avaliação da destinação final do esgoto doméstico na região alta da bacia hidrogáfica do Rio Santa Maria da Vitória – ES / Brasil. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE GESTÃO AMBIENTAL, 10, 2019, Fortaleza. Anais [...]. Fortaleza: IBEAS, 2019. p. 1-10. Disponível em: https://www.ibeas.org.br/congresso/Trabalhos2019/VIII-065.pdf. Acesso em: 25 out. 2021.

NASCIMENTO, L. S. Sistema de fossa séptica biodigestora como tecnologia de saneamento básico em comparação ao sistema de fossa negra. In: GUILHERME, W. D. (org.). A produção do conhecimento nas ciências sociais aplicadas 5. Ponta Grossa: Atena Editora, 2019. p. 389-402.

NÚCLEO ESTRATÉGICO INTERDISCIPLINAR DE RESILIÊNCIA URBANA (NEIRU). Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos Pouso Alegre: produto 3 diagnóstico. Itajubá, 2021. Versão prévia. Disponível em: https://pousoalegre.mg.gov.br/imagens/image/noticias/PRODUTO%203%20-%20Diagn%C3%B3stico%20-%20PMGIRS%20PA%20[VP]%20-%20REV00.pdf. Acesso em: 25 out. 2021.

OLIVEIRA, D. H. R.; ACORSI, M. G.; SMANIOTTO, D. A. Uso e ocupação do solo e caracterização morfométrica de microbacia na região centro-sul paranaense. Águas Subterrâneas – Seção Estudos de Caso e Notas Técnicas, São Paulo, v. 32, n.2, p. 1-10, 2018. DOI: http://dx.doi.org/10.14295/ras.v32i2.29114. Disponível em: https://aguassubterraneas.abas.org/asubterraneas/article/view/29114/18868. Acesso em: 25 out. 2021.

OLIVEIRA FILHO, E. R. Revitalização por barraginha na bacia hidrográfica do Rio Urucuia - Minas Gerais. Humboldt - Revista de Geografia Física e Meio Ambiente, Rio de Janeiro, v.1, n.1, p. 2-20, 2020. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/humboldt/article/view/52457/35552. Acesso em: 25 out. 2021.

PIERONI, J. P. et al. Avaliação do estado de conservação de nascentes em microbacias hidrográficas. Revista Geociências, São Paulo, v. 38, n. 1, p. 185-193, 2019. Disponível em: https://ppegeo.igc.usp.br/index.php/GEOSP/article/view/13374/12967. Acesso em: 25 out. 2021.

POUSO ALEGRE (MG). Prefeitura Municipal. Projeto “nossa água, nosso futuro” inicia pagamento a produtores rurais habilitados. Disponível em: https://pousoalegre.mg.gov.br/noticias-detalhe.asp?id_not=1974. Acesso em: 25 out. 2021.

RHEINHEIMER, D. S.; GONÇALVEZ, C. S.; PELLEGRINI, J. B. R. Impacto das atividades agropecuárias na qualidade da água. Ciência & Ambiente, Santa Maria, v.27, n.2, p.85-96, 2003.

ROCHA, I. A. et al. O princípio da informação no cadastro ambiental rural e o planejamento de políticas públicas. P2P & Inovação, Rio de Janeiro, ed. esp., v.7, p. 101-117, jan. 2021. DOI: https://doi.org/10.21721/p2p.2021v7n1.p101-117. Disponível em: http://revista.ibict.br/p2p/article/view/5576/5165. Acesso em: 25 out. 2021.

ROCHA, J. S. M. R. da. Manual de projetos ambientais. Santa Maria: UFSM, 1997.

ROCHA, J. S. M. da; KURTZ, S. M. J. M. Manual de manejo integrado de bacias hidrográficas. Santa Maria: UFSM, 2001.

ROCHA, A. A.; VIANNA, P. C. G. A bacia hidrográfica como unidade de gestão da água. In: SEMINÁRIO LUSO-BRASILEIRO AGRICULTURA FAMILIAR E DESERTIFICAÇÃO, 2., 2008, João Pessoa. Anais [...]. João Pessoa: Ed. Universitária da UFPB, 2008. Disponível em: http://www.geociencias.ufpb.br/leppan/gepat/files/gepat022.pdf. Acesso em: 25 out. 2021.

ROCHA-NICOLEITE, E. et al. Mata ciliar: implicações técnicas sobre a restauração após mineração de carvão. Criciúma: SATC, 2013.

SANTOS, E. H. M. dos; GRIEBELER, N. P.; OLIVEIRA, L. F. C. de. Relação entre uso do solo e comportamento hidrológico na Bacia Hidrográfica do Ribeirão João Leite. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, Campina Grande, v.14, n. 8, p. 826-834, 2010. DOI: https://doi.org/10.1590/S1415-43662010000800006. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbeaa/a/vbWrQ57Pf7SF5tbx6pmxPNq/?format=pdf〈=pt. Acesso em: 25 out. 2021.

SANTOS, I. V. V. de S. Biodigestão anaeróbia dos resíduos da agroindústria de citrus em consórcio com dejetos de suínos. 2016. 51 f. Dissertação (Mestrado Profissional em Energia da Biomassa) – Centro de Ciências Agrárias, Universidade Federal de Alagoas, Rio Largo, 2016.

SANTOS, E. L. et al. Uma alternativa energética e ambientalmente sustentável ao agricultor familiar: dia de campo sobre biodigestores rurais. Diversitas Journal, Santana do Ipanema, v. 2, n. 1, p. 32-38, jan./abr. 2017. DOI: https://doi.org/10.17648/diversitas-journal-v2i4.489 Disponível em: https://diversitasjournal.com.br/diversitas_journal/article/view/489/397. Acesso em: 25 out. 2021.

SILVA, R. T. Manual de direito Ambiental. Salvador: Juspodivm, 2021.

SOUSA, J. V. de. Sustentabilidade ambiental: análise da degradação e perturbação ambiental na mata ciliar do Rio Mandu, município de Pouso Alegre (MG). 2012. 167 f. Tese (Doutorado em Geografia) – Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista “Júlio Mesquita Filho”, Rio Claro, 2012. Disponível em: https://repositorio.unesp.br/handle/11449/104451. Acesso em: 25 out. 2021.

Publicado
2022-04-28
Como Citar
BALBINO, J.; BRAZ, F.; MONTEIRO, V. Diagnóstico socioambiental da microbacia Anhumas no município de Pouso Alegre - MG. Revista Mineira de Recursos Hídricos, v. 3, 28 abr. 2022.